06 julho 2015

Intimidade



      Em Gn. 22 a Palavra nos mostra uma incrível história de fidelidade e confiança no Senhor, é a história de Abraão e seu filho Isaque. O maior desejo daquele homem era ter um filho e, apesar da sua idade, Deus promete a ele que lhe daria, que dali surgiriam nações. 
        Nos coloquemos no lugar de Abraão nos dias de hoje: Você tem uns 70 anos, está cansado e sabe que não há mais condições de gerar o seu sonho, mas Deus promete. Agora imagine que anos depois, você mais velho ainda, nota algo impressionante: ESTAMOS GRÁVIDOS! O sonho torna-se realidade, a desesperança transforma-se em incontido riso, a sensação de esquecimento vira júbilo. O presente chegou! Há razão para investir as forças em alguém! 
       Mais uma vez te convido a visualizar a situação: O que eu tenho de mais precioso? O que para mim é o meu motivo de alegria? O que mais importa para mim? Em que eu invisto meu futuro? Quais meus planos? No caso de Abraão, sua expectativa, seus planos, sua energia... Todo o seu ser voltara-se para sua tão esperada promessa: seu filho! Afinal, tanta espera deveria ser revertida em tempo aproveitado com a sua promessa! 
       O problema é quando Deus pede para si o que temos de mais precioso. E Deus pede a Abraão sua tão esperada promessa, o que o motivava a ainda ter expectativa de futuro. Nos coloquemos no lugar de Abraão: E agora? Deus pede de volta algo que Abraão considerava tão seu... E Abraão, obediente, sobe com o seu Isaque para o monte a fim de devolver a Deus o que Ele lhe dera, mas pedira de volta! Imagine o sentimento de pai ao ouvir seu filho perguntando: "pai, cadê o sacrifício?" (Gn. 22:7). Imaginemos as lágrimas, o sentimento de perda. Não, não dá para imaginar, a não ser que você já tenha tido a sensação de saber que o seu filho morreria momentos antes dessa morte. 
      É praticamente impossível saber o que Abraão sentia. Porém, naquele momento a história se reverteu e Deus devolveu a Abraão o seu filho. Deus nos mostra a obediência de Abraão, pois a fé de Abraão estava direcionada a algo: O meu bem mais precioso não é terreno, por maior amor que eu tenha por ele... meu maior bem está na intimidade com o meu Criador! 
       O Senhor nesta história nos mostra o valor da obediência e da fé, nos mostra que o valor mais alto é o daquilo que não podemos ver. Volto a perguntar: Quais têm sido nossas prioridades? Nossas atitudes são coerentes com a Sua Palavra? Tenho sido o dono das minhas atitudes, das minhas decisões? 

        Leia agora Lc. 23. Tudo agora é diferente: o ambiente, o indivíduo, as companhias. No primeiro momento, tínhamos um filho prestes a ter o sangue derramado, então ali vêem um cordeiro amarrado pronto para o sacrifício e o filho então é liberto para viver. No segundo texto, o monte não é o Moriá. O calvário amedrontava os malfeitores, mas um inocente, a fim de que vários culpados não fossem condenados, resolve se entregar. O cordeiro com defeito (eu e você) escapa, a fim de que o cordeiro sem mancha (Jesus) derrame o seu sangue. E o pior: Eu mesmo enfiei o cutelo nele, rasgando sua carne - sem a tristeza que Abraão faria com seu filho por obediência a Deus. Eu não, eu rasgo sua carne por obediência à minha carne, aos meus desejos, às minhas vontades. De fato, no Calvário Ele se entrega por mim e por você - Há ainda algo o que falar? 
        Senhor, perdão pelo que sou, ajuda-me a andar conforme teu Filho. Obrigado pelo privilégio de ter a tua presença sempre que a busco, apesar de fazê-lo tão poucas vezes; obrigado pelo perdão nem sempre pedido; obrigado pelas bênçãos não merecidas, obrigado pelos que passaram e não valorizei, pelos que estão hoje e a quem por tantas vezes desconsidero... Obrigado por tudo, mas principalmente pelo inacreditável, pela loucura da cruz, pelos cravos, pela dor, pelo sangue. Obrigado pelo precioso sangue derramado pelo miserável pecador! Nos dá forças para sermos portadores do maior milagre que a humanidade já presenciou: a morte do Filho para a vida dos seus, e a ressurreição do Filho para vergonha de satanás! A ti a glória!


Eu vou deixar brilhar...


       No filme “Corina, uma babá quase perfeita”, Ray Liotta interpreta um compositor da década de 50 que acaba de perder sua esposa e vive o drama de cuidar sozinho de Molly, sua filha de sete anos, que decide não mais falar devido ao vazio da ausência da mãe. Os pais de Molly ensinaram à criança que não há Deus, tampouco esperança de vida após a morte, o que aumenta o seu vazio e desesperança. 
  Na busca por uma babá, o pai entrevista Corina (interpretada pela atriz Whoopi Goldberg), que, mesmo formada, não consegue arrumar trabalho por ser negra. A primeira tarefa de Corina é se comunicar com Molly. Gradativamente Corina ganha a confiança da menina usando como um dos instrumentos a música, e uma das que compõem a trilha sonora do filme é “This Little Light Of Mine” (Essa minha luzinha), que fala que temos uma pequena luz que precisamos deixar brilhar:
“Agora, alguns dizem que você tem que correr e se esconder; mas nós dizemos que não há lugar algum para se esconder (…) alguns dizem que a época não é boa; mas nós dizemos que a época é justamente essa; se houver algum canto escuro na nossa terra; você deve deixar a sua luzinha brilhar”
No filme, Corina apresenta a Molly uma esperança e uma alegria que até então ela não conhecia, fazendo com que ela descubra que pode brilhar sua luz mesmo em meio às trevas da perda de sua mãe, a pessoa mais importante para de sua vida.
Sempre que lembro desse filme e ouço a música “Minha pequena luz”, lembro das palavras de Jesus em Mateus 5:14-16: "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus".
O maior prazer do Senhor é ver sua vida manifestada em nossas vidas por meio de nossos frutos, por meio de nosso brilho, por meio da alegria da salvação revelada em nós, trazendo esperança ao perdido, abraço ao excluído, salvação ao perdido. 
No filme, uma babá apresenta a uma criança deprimida que existe esperança mesmo em meio à dor. Na vida real, os ensinos de Jesus nos levam à compreensão de que há uma alegria que não nasce em nós, uma alegria que vem do alto e nos preenche e é capaz de iluminar as trevas emocionais, físicas, espirituais e sociais, uma alegria que vem do próprio Deus.
Deus te fez para este grande propósito: glorificar ao seu nome, brilhando a luz dele diante dos homens e testemunhando dos seus grandes feitos. Louve-o com sua vida, louve-o com suas atitudes, você é uma pequena luz que Ele transforma em um grande farol capaz de rasgar a escuridão da ausência de Deus para o brilho da presença do Soberano. Seja luz!

04 setembro 2013

Reportagem da Revista Marie Claire sobre o aborto da redatora-chefe

Coloquei aqui o link da reportagem da Marie Clarie sobre o aborto da redatora-chefe, atitude elogiada na reportagem. Se possível, leia no link abaixo para depois entender o motivo desta pequena postagem, colocada em meu Facebook:

http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2013/05/fiz-dois-abortos-e-nao-me-culpo-afirma-jornalista-marina-caruso.html

     Comentário da leitora Fabiana Marques, na área de comentários logo abaixo da reportagem: "Que desânimo com a humanidade dá leresses comentários... Quanta gente ignorante e caga-regra. É muito fácil julgar, sem estar na pele. Ninguém é obrigado a ter um filho que não quer ou não está preparado. Equiparar aborto com assassinato é de uma burrice tão sem fundamento, que não vale a pena nem discutir. Boa sorte para vocês com essa mente retrógrada. E vamos ver se quando a filhinha de vcs de 15 anos ( ou 18) engravidar, se vai esse discurso antiaborto será o mesmo. Eu nunca fiz um aborto, porque não precisei. Mas defendo o direito de quem queira fazê-lo! que tal usar essa energia para protestar contra o bando de político corrupto que tem por aí?" 

     Li esse absurdo e não me contive, respondi assim (são poucos caracteres e tive que cortar várias palavras):

     "Fabiana Marques, quem não quer ou não está preparado e engravida é sim obrigado a ter o filho - o nome disso é consequência. Pela inconsequência dessa sociedade tola é que hoje temos milhares de dependentes químicos que (entre outras questões), não tem moderação nas suas escolhas; pela inconsequência é que muitos excluem alguns e marginalizam outros, etc. Esse seu pensamento é típico dessa tola e hedonista sociedade inconsequente. Não quer ter um filho ou não está preparado? Ah, não seja burro e não faça sexo irresponsável... Ora, somos animais no cio que não se aguentam diante da excitação? Atitudes inconsequentes geram responsabilidades e fugir delas é não só covardia, mas nesse caso, crime. É uma pena que breve já não mais será, mas covardia tal ato nunca deixará de ser, pois é, sim, matar um indefeso. "Equiparar aborto com assassinato é de uma burrice tão sem fundamento, que não vale a pena discutir" Ah, então acabar com uma vida mudou de nome? Em seu caso não vale a pena discutir porque não há argumentação legal, científica e ética que valha, e aqui de fato a discussão acaba, posto que quando a verdade fere nossos brios, resta-nos a fuga ou o silêncio... e você foge! Bom, se minha filhinha de 15 engravidar e não tiver condições, terá que criar ou será sim uma assassina; ser minha filhinha não muda sua atitude desumana. Devemos protestar contra a corrupção sim, mas se for para escolher entre gritar contra um corrupto e contra um assassino, ainda gasto mais energia contra um assassino, pelo menos o corrupto pode ser preso, já o assassino não tem como trazer de volta o que levou." 


     Cada vez mais me enojo como rumo que nós temos dado a esta sociedade que só pensa no prazer imediato. Relativizamos tudo - e nadamos nesse abismo imundo. Não precisa ter uma religião para ser contra tal tipo de atitude, basta olhar um pouco menos para o próprio umbigo.

Em tempo: Minutos depois de enviar a resposta à leitora, recebi este e-mail: 
Revista Quem
23:36 (17 minutos atrás)

para mim 
Caro usuário

Seu comentário contém palavras impróprias.
Por esse motivo ele não será inserido no site.

COMO ASSIM??? EU DISCORDEI DA LEITORA ABORTISTA E FUI BARRADO??? ALGUÉM VIU PALAVRAS IMPRÓPRIAS NA MINHA RESPOSTA? Não nos calemos diante do que estão fazendo com nossas crianças - vamos levantar a voz contra esse tipo de absurdo!


13 julho 2013

DVD Pirata... Vai um gospelzinho aí, irmão?

Olá, meus amados!

Este e-mail foi enviado há pouco mais de dois anos para o pastor da Igreja Cidade Viva, Sérgio Queiroz. Relendo alguns e-mails, encontrei-o e resolvi postar, tendo em vista que o assunto é extremamente atual.

Abaixo o e-mail do irmão quanto à pirataria e logo mais abaixo a resposta do Pr. Sérgio. 

Deus abençoe a todos!



Ola.Gostaria que esta mensagem fosse encaminhada ao Pastor Sérgio e, de preferência queria uma resposta.
Caro Pastor.
Me chamo ***** e há pouco mais de 1 ano fui pela primeira vez ao culto da Cidade Viva e sua pregação me prendeu de tal forma, que eu, como um ex católico, tivesse toda a admiração pela Igreja Protestante (a qual, atualmente frequento, que é a CV).
De coração,achei sua maneira muito sábia e uma postura que como poucos fazem a seriedade como o senhor faz.
Venho escrever apenas para mostrar meu repúdio do senhor aos vendedores e compradores de DVDs que não são originais.
Acho que agiu muito infeliz ao dizer que alguém comprando um dvd pirata seria a mesma coisa de estar roubando uma carteira. Porém, o senhor deveria entender que isto vem gerando inúmeros empregos(informais, mas é emprego) e ainda vem sustentando milhares de bocas que não tinham o que comer. A venda informal e não autorizada só é grande no Brasil porque as gravadores vendem com valores muito acima da realidade do brasileiro. Uma pessoa que ganha 500 reais, jamais poderá investir em 50 reais em um dvd de filme ou de qualquer coisa.
E, se o senhor criticou os consumidores e vendedores desse segmento, deveria ter expandido sua crítica aos que fazem isso com: óculos, roupas, bonés, etc,etc,etc. O senhor já imaginou se não existisse a venda de camisas de futebol informais e piratas? Como um pobre poderia ter sua camisa do Flamengo que custa 200 reais(a original)?
Infelizmente, estamos no Brasil, onde a maior parte da população precisa viver e comer. Desculpe o desabafo, porém, fiquei muito triste com o seu comentário e não poderia deixar de expor, pois sei da realidade dos que vendem cds, dvds por aí e também dos que consumem. Um grande abraço e que Deus possa tocar o seu coração, lembrando dos que mais precisam e que não possuem o nosso conforto.



Resposta:

Caro irmão,
 
Recebo com grande admiração e um certo espanto o seu desabafo.
 
Gostaria que você pensasse sobre algumas coisas:
 
1 - Os fins justificam os meios?
 
Biblicamente não. A ideia de que justificam vem do pragmatismo de William James e tem sido uma marca na sociedade atual. Em outras palavras, Deus quer que usemos os meios certos para alcançarmos os fins certos. Meios justos e fins justos.
 
2 - O que desqualifica um furto é a necessidade daquele que furta?
 
Claro que não. As leis do nosso país não trazem isso como exceção. O furto é qualificado como crime desde os primórdios da humanidade. A necessidade de roubar ou o roubo por necessidade não mudam o crime meu querido irmão, pois os fins não justificam os meios.
 
3 - O que Jesus e a Bíblia falam sobre roubo?
 
Que é pecado. Não há nenhuma passagem bíblica que justifique o roubo. Paulo, do mesmo modo, fala que um dos sinais de amor a Deus é parar de roubar.
 
4- Buscar redução de culpa resolve problemas?
 
Creio que não. Se há justificativas para pessoas que vendem o que não lhes pertence, o que dizer de quem bate a sua carteira por necessidade de fazer a feira? Ambos não seriam problemas sociais? E o que dizer de um viciado em drogas que bate na mãe e no pai e roubam o seu dinheiro para comprar crack? Não há uma necessidade (fome) psíquica incontrolável?
 
5 - Mesmo discordando do seu posicionamento quanto aos vendedores de DVD pirata, que em minha opinião continuam cometendo crime, não teria eu focado a minha fala sobre os que compram DVD´s piratas?
 
Creio que sim. A minha fala foi para a minha igreja e para todos os que me assistem pela TV, que estão longe de passar fome. A minha fala foi para pessoas que compram esses DVD´s para os seus filhos e para si mesmos.
 
Estariam essas pessoas mesmo preocupados em ajudar os pobres vendedores, ou ter um proveito pessoal a baixíssimo custo? Acho que a segunda opção faz muito mais sentido, não é mesmo amado irmão?
 
Caro irmão, não se resolve problemas sociais simplesmente minimizando-os.
 
Uma sociedade com valores cristãos firmes vai se tornando cada vez mais justa e igualitária, a exemplos de outras nações desenvolvidas no mundo como a Nova Zelândia e os países Nórdicos, que um dia foram pobres, mas formaram as suas crianças com a consciência do trabalho justo e honesto.
 
Por outro lado irmão, ter ou não uma camisa do flamengo é questão de foro íntimo. Sou flamenguista, por exemplo, mas não uso a camisa pois acho cara demais.
 
Além disso, a melhor maneira de amar aos pobres, não é permitir que eles vivam na ilegalidade, mas educá-los, treiná-los, formá-los, ajudá-los com investimentos sociais. Esse é o papel da Cidade Viva.
 
Perdoe-me a sinceridade, meu amado e distinto irmão, mas guiar o futuro de nossa Nação com base nos paradigmas apresentados por você é guiá-la no caminho do eterno caos social e da miséria endêmica. Precisamos de desenvolvimento sustentável com ética a partir das camadas mais simples da sociedade.
 
Outra coisa, você fala que a indústria fonográfica vende DVD´s muito caros e por isso as pessoas pirateiam. Meu amado, você está enganado! Como Procurador da Fazenda Nacional e representante do Estado brasileiro em questões tributárias, o que está acontecendo é exatamente o contrário: O original vai se tornando cada vez mais caro por causa da pirataria. Isso é o óbvio ululante. Sugiro que você estude mais esse tema que é bem mais complexo do que os nossos corações possam imaginar.
 
Romantismo sócio-econômico não mudará a cara do Brasil.
 
Por outro lado, meu irmão, é exatamente o desejo de ser ter o que não se pode ter, só porque os outros tem, que nós produzimos famílias endividadas e adeptos da criminalidade, quer seja armada e violenta, quer seja como expressão de uma "necessidade" social.
 
O caminho da redenção do Brasil é a ética do Reino de Deus e não as nossas convicções pessoais.
 
Não obstante, estou disposto a mudar o meu discurso, caso o irmão me apresente bases bíblicas para os seus argumentos.
 
Esse Livro é o guia que devemos seguir.
 
No mais, Deus te abençoe!
 
Sérgio Queiroz   
  

25 junho 2013

Feliciano, Malafaia, "cura gay", ditadura de uma minoria e a intolerância com os intolerantes

    De algum tempo para cá, o Brasil vem sendo palco de uma série de debates acerca da união homoafetiva – após uma entrevista do Pr. Silas Malafaia no “De Frente com Gabi”, a discussão se tornou ainda mais acirrada e agora, para piorar, vem a discutida e mal informada “Lei da Cura gay” (coloquei entre aspas porque de fato o sentido é errôneo).
    Em conversa com uma amiga pelo Facebook, a mesma me perguntou o que eu achava dessa discussão toda. Resolvi colocar abaixo o pequeno texto que a enviei. Espero que seja uma leitura interessante:

    Acho que neste atual momento, temos uma série de problemas que merecem reflexão: um deles é o desejo de uma minoria em querer que os seus direitos sejam colocados acima dos outros, um outro problema é a diferença de nossas atitudes quando contrastadas com a de Cristo. Vou dar um exemplo: tenho um amigo que é homossexual e com quem tenho amizade há anos. Esse cara me conheceu na época em que eu discutia com minhas professoras na escola administrada por freiras com perguntas céticas de um adolescente revoltado com um Deus cristão. O cara morou na mesma cidade que eu – e me conhecia porque sempre me via debatendo e fazendo perguntas capciosas para alguns colegas cristãos.
    Quando cheguei a João Pessoa o reencontrei na cidade, e ele me lembrou dos meus debates, então perguntou se eu ainda fazia aquilo. Quando disse a ele que era cristão, ele se surpreendeu, isso deu uma abertura para sermos amigos, já que ele era meio revoltado com o Cristianismo e os meus pensamentos eram diferentes dos que ele tinha estereotipado em relação à minha religião. Na época ele não era um homossexual assumido, apesar de eu saber que ele era.
    Certa vez, quando eu falava do Evangelho para um colega universitário, ele disse que queria falar comigo, então depois saí e ele perguntou: “Saulo, você crê na cura gay”? E eu disse: “não, não creio”. Ele ficou surpreso. Eu disse: “Fulano, cura só recebe quem é doente - ser gay não é doença, é pecado, assim como várias outras práticas, muitas das quais eu tenho e procuro lutar contra”. Ele ficou calado, então continuei falando com muito amor, até pela amizade que tínhamos. Na minha fala fui explicando que eu acreditava que a homossexualidade era um pecado como outro qualquer – assim como a desobediência aos pais, à sexualidade fora do casamento, à traição no casamento, à pornografia, enfim... Apesar de muitas vezes ser tentado a pecar, eu posso preferir não fazê-lo – e que eu cria que alguém poderia deixar de cometer o pecado da homossexualidade, ainda que fosse algo que seria uma grande luta, pois seria abrir mão de seus desejos sexuais, o que é uma luta!
    Meu amigo continuou calado e depois de um tempo ele perguntou: “Você crê que alguém vai pra o inferno por ser homossexual?” e eu respondi que não. Ele ficou meio sem entender e disse: “como assim?” e eu disse: “eu creio que as pessoas vão para o inferno por causa do pecado, independente de qual seja. Eu não suportava a ideia de um Deus e iria para o inferno; eu poderia ser mentiroso e eu iria para o inferno; eu poderia ser extremamente religioso e se não mudasse minha vida eu iria para o inferno. O que muda essa questão é o fato de eu reconhecer quem sou, reconhecer que sou pecador, que só busco o pecado e que sozinho eu não consigo a salvação. O que aconteceu comigo foi que eu reconheci a porcaria que eu era – eu reconheci a porcaria que eu sou e entendi que se dependesse só de mim eu nunca alegraria o coração de Deus – eu entendi que isso só aconteceria com Jesus, então eu entendi que precisava me jogar nos braços dele.”
    Eu falei isso e outras coisas que no fim levaram ele a dizer que ele que até então tinha outra visão sobre o Cristianismo, uma bem mais negativa. Então um irmão evangélico me pergunta: "Aquele cara se converteu?" Não – aquele cara até concluir o seu curso ainda andou comigo inúmeras vezes, devido à nossa profunda amizade construída aqui, antes dele voltar para sua cidade natal. Ele hoje é assumido, mora com outro cara e trabalha em outro Estado. Quando nos falamos digo para ele sobre a saudade de nossa conversas e do quanto o amo e de que mais que eu, Cristo o ama. Nessa semana ele me pediu oração devido a alguns problemas com sua família – finalizou dizendo que me amava muito e que orasse por ele. 
    Bom... Sabe porque contei essa história toda? Porque, independente da conversão desse cara (o que, como disse, não ocorreu), eu utilizei algo que não utilizamos muito nessas abordagens atuais de confrontação ao pecado: amor!
    Muitos amigos da minha época de Mestrado odiavam evangélicos até me conhecerem – porque, porque eu sou melhor? Não, porque eu amei o meu colega ateu, amei o meu colega hindu, amei meus colegas de diversas religiões e ATÉ o meu colega evangélico – e tive muito mais oportunidade para falar do amor de Cristo quando eles viram o amor deste Cristo em mim - e entenderam o que de fato é esse amor. Ora, isso não pode acontecer também com você? Claro – é só estar disposto a, mesmo sendo pecador, buscar fazer como Cristo e amar – afinal, amar é uma decisão! 
    Agora eu pergunto o seguinte: Será que Silas Malafaia com sua retórica é muito usado para atingir o coração de um homossexual? Não estou julgando, mas creio que dificilmente, pois o seu discurso tem uma série de argumentos teológicos, mas falta aquele ingrediente chamado amor... Ou seja: ele convence todos os evangélicos que o escutam, MENOS quem mais deveria lhe escutar: os homossexuais!
    Há algumas semanas eu entrei em um fórum na internet sobre sexualidade e inúmeras pessoas “crentes” estavam detonando os homossexuais, então muitos homossexuais detonaram os crentes e estava aqueeeela guerra “santa”, então eu escrevi duas linhas sobre o amor de Cristo e no fim disse que se alguém precisasse ser ouvido, “lido”, alguém estivesse precisando de ajuda por algum problema emocional, me enviasse um e-mail, nem precisava ser com o nome verdadeiro. Dois dias depois um cara de outro Estado me enviou um e-mail, dizendo que lutava contra a homossexualidade e perguntando o que eu achava disso.
    Escrevi um longo e-mail para ele e ele respondeu – depois de outros dois e-mails ele me enviou seu nome e e-mails verdadeiros – na mesma semana conversamos “olho no olho” via Skype. Há aproximadamente 08 meses eu acompanho esse cara pela internet, ele tem compartilhado comigo suas lutas e como ele tem medo de que sua igreja descubra seu pecado, pois há algumas semanas um foi expulso por confessar ser homossexual em um grupo pequeno e pedir ajuda.


    Sabe, na verdade acho que chegamos onde chegamos mais por culpa do Cristianismo institucionalizado do que pelo próprio liberalismo hedonista dessa galera, explico: Os “cristãos religiosos” (para fazer a diferença dos “cristãos discípulos”) esqueceram que são pecadores que também lutam contra o pecado, então se colocaram como superiores – e não fizeram como Cristo que amou a mulher diante do poço, deixou de lado o fato de ser judeu e falou com a samaritana, deixou de lado o fato de ser homem e falou com a mulher (na época isso contava muito), deixou de lado o fato de ser o Cristo e falou com uma pecadora adúltera – a amou – seu amor a contagiou – e ela deixou de lado o cântaro e foi anunciar quem Ele era. Essa falta de amor do Cristianismo provocou ódio e uma necessidade de calar sua voz – então hoje os cristãos gritam contra eles de forma errada e como resposta eles querem impor uma ditadura.
    Muitos cristãos que conheço são discípulos de Cristo e não meros religiosos – e muitas vezes, devido à postura de muitos líderes, desviam o foco do mandado de Cristo. Você é reflexo do amor deste Senhor amoroso e, independente das posturas dos que estão próximos de você, você foi chamado para fazer a diferença, amando o pecador, não obstante o seu pecado – eu amo os meus amigos pecadores pelo fato de, ao olhar para mim mesmo, me ver coberto de pecados e necessitado da misericórdia de Deus. Nós devemos amar assim como Cristo nos ama, não obstante a nossa luta contínua contra os nossos pecados.
    No fim das contas, eu digo que a culpa maior está em nós pelo fato de dizermos que conhecemos a Cristo. Nós é quem somos cobrados, nós é quem anunciamos a Redenção e o amor de Cristo. Não concordo com as posturas de boa parte dos homossexuais – sou totalmente contra a forma como eles querem exigir seus direitos (entrar em uma igreja e se beijar porque o pregador da noite é Marcos Feliciano não é uma boa alternativa quando se fala de respeito) – tampouco concordo com as posturas de Marcos Feliciano, Silas Malafaia e outros (muitos dos quais discordo radicalmente do que pregam) – amo o Evangelho que abomina a homossexualidade, mas que abraça o homossexual e o ama – que é o mesmo que abomina o adultério, mas ama o adúltero, abomina a pornografia e abraça quem a consome e o ama – foi o mesmo que abominava meus complexos de inferioridade, minha depressão, minha descrença, minha arrogância, mas que me amou com todas as mazelas que eu tinha e me fez entender que Ele me quer da forma como estou, mas me quer lutando para mudar, ainda que essa seja a maior luta de minha vida.
    Deus nos abençoe! 

22 junho 2013

Pelé, Ronaldo e um manifesto do povo brasileiro

Em meio às manifestações do povo brasileiro, escrevi um pequeno texto no Facebook sobre as declarações de Pelé e Ronaldo (com links abaixo, primeiro o de Pelé, depois o de Ronaldo). 


    Primeiro foi o Ronaldo dizendo que "não se faz copa com hospitais, mas com estádios", agora vem o poeta Pelé e diz: "vamos deixar esses protestos de lado e torcer pela seleção". Amigos Pelé e Ronaldo, sinto muito, mas acho que o povo brasileiro finalmente começou a entender que a alienação do pão e circo não tem mais poder que o próprio povo quando este sai às ruas. Agora tenho algumas perguntas para nossos dois honrados representantes da nação no mundo do futebol: Quando alguma criança conhecida precisar de educação de qualidade, deveria eu enviar um e-mail ou mesmo telefonar para a FIFA solicitando vaga em uma instituição educacional de qualidade? Caso eu ou alguém da minha família necessite de atendimento médico, eu devo me encaminhar para qual estádio? Quando algum parente ou amigo ou eu mesmo for vítima da violência urbana, deveria eu recorrer a algum dos nossos ídolos da seleção canarinho com uma vuvuzela, caxirola ou algum outro instrumento sonoro que os incentivem? No caso das crianças abandonadas nos abrigos e de outras tantas que morrem de fome, o ideal seria enviá-las para um gostoso lanche na mansão de algum de vocês? Não seria possível um contato rápido com o honrado presidente da FIFA Joseph Blatter a fim de que o mesmo providencie uma famílias para que adotem tais crianças abandonadas? Ah, temos um probleminha aqui no Nordeste, nada muito sério diante da suntuosidade dos jogos da seleção: é uma coisa chamada SECA. É algo meio estranho e certamente vocês nunca passaram por isso, mas as famílias em determinados momentos chegam a ficar dias sem condições sequer de tomar banho - não por falta de higiene, mas por falta de água mesmo. E o pior: Alguns chegam a morrer de sede. 
    O que mais nos angustia é que esse problema já poderia ter sido resolvido há décadas com algumas ações do governo, mas o mais interessante para os nossos políticos do que resolver o problema é alimentar uma indústria chamada indústria da seca, que funciona mais ou menos assim: nossos políticos compram carros pipa por preços estratosféricos e há décadas usam desse paliativo sempre por duas razões: enriquecem cada vez mais e usam a água que mata a sede do povo como moeda para compra de votos. Já pensaram? Ah, perdão, sei que não pensaram, pois certamente o importante é A NOSSA SELEÇÃO!    
    Não, amigos, sinto muito, mas parece que uma revolução começou. Não uma revolução político partidária financiada por corruptos que vivem desta miséria descrita acima e de tantas outras que não citei, mas uma revolução que parte da indignação de um povo que uma hora se cansa. Confesso que tenho medo quando penso que muitos canalhas se aproveitarão para colocar de fora sua marginalidade e promover a baderna e a criminalidade, mas a essência que se vê na multidão é outra: a indignação com a injustiça. Tais pessoas (falo das pacíficas), crendo ou não, seguem o conselho de Cristo, quando disse: "bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça, pois serão saciados" (Mt. 5:6) - como brasileiro nós não desistimos nunca - ainda que a mídia tente nos manipular tentando desviar o nosso olhar - "parafraseando" Platão, depois que o prisioneiro abre os seus olhos, ele sai da caverna... E se for brasileiro, não se conforma com as trevas em que vivemos... E busca a luz nas ruas, protestando não especificamente contra vocês, manipulados Pelé e Ronaldo, mas contra qualquer cidadão que se corrompe e principalmente aqueles que verdadeiramente DEVERIAM NOS REPRESENTAR: nossos políticos!

Para refletir, segue um vídeo com uma resposta BEM melhor que essa minha:

07 novembro 2011

Pequeno e-mail sobre farisaísmo

Olá, gente - depois de mais alguns anos sem postar, postei mais um!




Há algum tempo atrás eu recebi um e-mail de um dos participantes de meu grupo pequeno sobre uma crítica à nossa Comunidade. Na época trouxemos a banda de reggae Christafari, que usa desse ritmo e estilo para evangelizar e louvar a Deus. Uma irmã de uma outra comunidade enviou um e-mail para esse meu amigo criticando nossa igreja por trazermos tal banda, agumentando que so deveriamos usar certos ritmos e que o reggae não agradava a Deus, e por aí vai... Fiquei "chateado" com a visão preconceituosa e respondi. Hoje vi uma discussão semelhante e resolvi postar o e-mail abaixo para expressar minha opinião - se é que importa.




No caso abaixo, coloquei as palavras dela em vermelho e as minhas em preto - troquei o nome de algumas pessoas para preservá-las. Nao obtive resposta ao e-mail até hoje. Espero que ela tenha pensado melhor sobre os recursos que o Senhor nos dá para O glorificarmos.




Segue o texto (como disse, o dela em vermelho e o meu em preto):




Estávamos falando do Christafari...Será que Deus não se importa com o nosso estilo? não tem nada parecer com um maconheiro, Será que não tem nada parecer com um maconheiro, usar dreads (que são o símbolo da união com o Deus Jah da religião divulgada por Marley) e cantar músicas cujo ritmo está intimamente ligado com a fé rastafari e com a maconha? Será mesmo que Jesus aceita esse tipo de "louvor" e se agrada com o fato de os ingressos serem vendidos no Marleys Bar? Deus se agrada mais com o obedecer do que com o sacrificar (como está escrito em Isamuel 15:22). Devemos portanto obedecer o que está escrito em Romanos 12:2 ("e não vos CONFORMEIS – ou seja, tomar a forma- com esse mundo") e Itessalonicenses 5:22 ("abstende-vos de toda a APARÊNCIA do mal"). Antes de um crente abrir a sua boca ele deve ser reconhecido com obreiro aprovado. Somos a imagem de Jesus aqui, e creio que assim como minissaiais e blusas mto decotadas não remetem a Cristo, tampouco o fazem dreads, tatuagens e o reggae. Somos o sal e a luz do mundo e só servimos se salgarmos e brilharmos. Isso não é feito através de palavras apenas; se dizer pastor e colocar "Deus" aqui e ali numa música é extremamente fácil, mas isso não torna as coisas corretas. Ou você acha que porque Lázaro trocou algumas palavras nas músicas de olodum elas se tornaram santas?? Isso pode agradar o coração do homem, mas certamente não o de Deus. DEUS TEM VONTADES, ele é um ser pessoal. Só pq vc sente paz ou alegria ao cantar algo, não quer dizer que vc está louvando a Deus, pelo menos não da maneira correta. SIM, há um jeito certo de louvar e esse é o jeito que Deus espera ser louvado.
Quantos não dirão Senhor, Senhor, em teu nome não profetizamos e em teu nome lançamos demônios e em teu nome fizemos muitas coisas? E ainda assim Deus nem os terá conhecido. Ou ainda no caso de Uzá, que estendeu a mão para segurar a arca, porque os bois haviam tropeçado. Ele, em seu coração, queria impedir a arca de tocar no chão impuro, porém Deus proibiu que a arca da aliança fosse tocada e por isso Uzá morreu! (I samuel 6:6-7). Eu sei que nem sempre o jeito correto está explícito na Bíblia, porém Deus nos dá princípios aplicáveis em qualquer área de nossas vidas, inclusive na música.Sim, Deus ama a todos, seja qual for o estado em que se encontram ou o estilo que possuam, mesmo que eles não O agradem. Mas qdo essas pessoas aceitam a Cristo e passam a amá-lo da mesma maneira, elas se tornam NOVAS criaturas.
Deixam seu velho eu para trás e MUDAM. Nem smp mudança é fácil ou cômodo, é por isso que tantas pessoas buscam algo, mesmo que mentiroso, que as conforte em seu pecado. (Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos- IITimóteo 4:3)Mas estão por acaso homens acima da Palavra? NÃO! E lá está escrito que não devemos abusar da graça de Deus como licença para pecar, e que a aparência importa sim. Acho que não só Christafari, mas tantas outros grupos ditos gospel esqueceram disso, ou simplesmente são lobos vestidos de cordeiro que se infiltram nas igrejas como câncer contaminando o pensamento das pessoas, principalmente jovens, que são levados a caminhar fora da vontade de Deus até mesmo sem notar, achando que estão o adorando qdo na verdade os únicos ouvidos aos quais aquele som é uma oferta agradável é o deles mesmos.



Brother... Responderei no corpo do e-mail, com o texto dela em vermelho e minhas observações em preto - espero que ajude!



Date: Tue, 19:30:48 -0300 From: *****@gmail.com To: saulojua@gmail.com Subject: Meu venerado Líder! Saulin meu fi!! Bem, esse mail eh pra falar sobre uma pessoa que falou comigo com relação ao Christafari (minha amiga ******). A gente tava comentando sobre o show de Christafari e sabe como eh esse povo de Igreja tradicional (Igreja *****) neh?Olha soh o q ela escreveu:




*****, desculpa ae a demora em responder. Tava com prova na sexta e talz...mas então, estávamos falando do Christafari...Será que Deus não se importa com o nosso estilo? DEPENDE... O QUE É ESTILO? Como assim "nosso estilo"? Ora, Jesus tinha pessoas de inúmeros "estilos" à sua volta: um político-partidário que usava a arma (ah, ainda depois de andar com Cristo continuou assim, pois já no último ano do Ministério de Cristo ele sacou a arma para defender Jesus de ser preso - três anos depois de o haver conhecido e andando com Ele) ah, não esqueçamos de um que tinha um estilo rigoroso, com viés de "perseguição ao capital" dos outros - o coletor de impostos Mateus (bem excluído da sociedade da época, vale salientar), temos um que tinha um estilo detalhista quanto à descrição do corpo (tendo em vista que era médico), um especialista em teologia e tantos outros de tantos "estilos" diferentes do de Cristo (deixando claro que falo de um tipo de estilo, pois não creio que o estilo se refira à roupa, pois sabemos que o hábito não faz o monge, senão não teríamos tantos fariseus de tantas igrejas rigorosas escandalizando o Evangelho, tampouco teríamos tantos dependentes químicos transformados por Cristo através do evangelismo de tatuados... Ou vamos ser juízes e dizermos que tal "estilo de vestes" não é compatível com o verdadeiro Evangelho? Felizmente a Bíblia não nos dá argumentos para isso...) Será que não tem nada parecer com um maconheiro, ora, ******... PARECER COM UM MACONHEIRO??? Cuidado, pois esse é o velho e ruim preconceito advindo da falta de informação sobre determinados assuntos! Trabalhando com dependentes químicos, sou acostumado a ouvir esse tipo de comentário (absurdo, vale salientar) porém geralmente tal absurdo sai da boca ou de pessoas simples sem muito conhecimento intelectual ou de mundanos preconceituosos... De cristãos retirados da lama do pecado deveria ser mais difícil ouvir isso, já que aprendemos na Bíblia que somos tão pecadores quanto uma prostituta com 5 maridos que não eram seus... Conheço um cara que usava camisa manga longa, calça social e cabelo curto,seu nome é Moacyr... Não gostava de ir a festas e muito menos de reggae... USUÁRIO DE MACONHA, chegando ao ponto de usar 60 baseados em um dia (quem sabe o que é sabe que é muito), também conheci outro que não tinha cabelo grande, não tinha dreads e também não curtia reggae - ah, era universitário e tinha uma família estabilizada, os pais inclusive eram de uma igreja evangélica (que só cantava hinos do Cantor Cristão, por ironia do destino) - Seu nome é Rossano e tornou-se dependente de crack. usar dreads (que são o símbolo da união com o Deus Jah da religião divulgada por Marley) - Bom, mais uma vez a informação não está correta... Ao contrário do que alguns pensam, os dreads não foram criados pelos seguidores de Marcus Garvey e Haile Selassie (assim também como a cruz não foi criada pelos seguidores do Cristianismo, a suástica não foi criada pelos nazistas, o olho que tudo vê não foi criado pela Maçonaria nem tampouco o "sinal-da-cruz" foi criado pelos católicos [ah- por acaso, o sinal-da-cruz foi criado pelos cristãos fiéis do 2o século, faziam o sinal na testa e simbolizavam que eram cristãos ou que estavam consagrando algo a Cristo, fazendo o sinal sempre que abençoavam algo] - ledo engano - os dreads já existem há centenas - se não milhares de anos e já eram "mania" entre inúmeros grupos espalhados por inúmeras tribos antes mesmo das colonizações européias do modernismo, ainda hoje algumas tribos da África e alguns povos indianos fazem as tranças nos cabelos simplesmente por acharem bonito... E quem nossa cultura é para se sentir superior? Leiamos um pouco mais de Antropologia e um pouco mais de ética Cristã para sabermos que somos tão quanto nossos vizinhos bolivianos, argentinos ou seja lá o quê (ah- há até um livro cristão que aborda um pouco essa questão: O FATOR MELQUISEDEQUE de Dom Richardson e COMO VIVEREMOS? de Francis Shaeffer) e cantar músicas cujo ritmo está intimamente ligado com a fé rastafari e com a maconha? Bom, se for o ritmo que determina o caráter de alguém, prendamos todos os missionários americanos que chegaram ao Brasil trazendo sua "cultura musical", pois o jazz e blues tocados em grande parte das igrejas tradicionais (ah.. Aquilo é uma levada de jazz, viu? Coloca uma batida por trás do som do piano que vc verá que não tô mentindo) eram os mesmos tocados nos PROSTÍBULOS AMERICANOS!!! Pois é.. A diferença dos prostíbulos de lá pra os de cá é que os daqui tocam forró de plástico e os de lá tocam música "clássica". Aliás... Alguns grandes divulgadores da música clássica cantada nas igrejas protestantes americanas antes mesmo das igrejas cantarem foram uns sujeitos chamados goliardos, que faziam músicas criticando o Cristianismo (aqueeela Carmina Burana, por exemplo.. Sátira medieval à religião e difundida por Carl Orff - ritmo hoje louvado pelos tradicionais) Será mesmo que Jesus aceita esse tipo de "louvor" e se agrada com o fato de os ingressos serem vendidos no Marleys Bar? Bom, o ritmo que Jesus curtia eu não sei, mas sei que andava com gente muito doida, gente que nós, preconceituosos evangélicos que nos achamos menos pecadores que os outros, certamente não andaríamos, pois toda a MARGINALIDADE antiga estava com Jesus: Bêbados (como hoje a droga se disseminou, coloque aqui também viciados em crack, maconheiros, cheiradores de cola... Afinal, segundo a OMS, todas são dependências químicas, apesar de algumas serem consideradas lícitas), prostitutas, cobradores de impostos, ladrões, etc... Em relação ao Marley´s Bar – se a intenção era chamar os viciados para o evento – que lugar melhor para divulgar senão o Marley’s? Ah - pelo resultado (dezenas de conversões) - vejo que escolhemos os lugares ideais para divulgar!
Deus se agrada mais com o obedecer do que com o sacrificar (como está escrito em Isamuel 15:22). Devemos portanto obedecer o que está escrito em Romanos 12:2 ("e não vos CONFORMEIS – ou seja, tomar a forma- com esse mundo") Interessante... Paulo, que era cristão, fala aos filósofos usando Parmênides, que era filósofo.. Por qual motivo? Por saber que a mensagem chegaria de forma mais eficaz no contexto deles.. Aliás, ele faz isso seguindo sua própria orientação em outro texto bastante interessante: I Cor. 9:20... Bom para entendermos a contextualização da pregação da Palavra. Não se moldar ao mundo é muito mais que levar uma vida à parte do que os descrentes vivem.. Ora, quem pregará para eles? Ora, onde Jesus andou? Ora, com QUEM Jesus andou? Se formos pensar dessa forma, agiremos como os monges medievais que, buscando "fugir" do mundo, se enclausuravam nos seus monastérios e deixavam os pobres rumando em direção ao inferno. Não se moldar ao mundo significa não ter a MENTE do mundo - as atitudes mundanas de rejeição ao sacrifício de Cristo, de uma vida de prostituição, mentira (enfim - a lista de Gl. 5) - sabemos que os 24% da população dita evangélica do Brasil está cheia de carregadores de Bíblia com a vida podre - cujo estilo musical e tipo de vestes não mostram nova vida interior... Os ternos de Rodovalho e Macêdo e os vestidos de Lana Holder que o digam! e Itessalonicenses 5:22 ("abstende-vos de toda a APARÊNCIA do mal"). ÊPA!!! Coloquemos o texto no seu contexto a fim de que não venhamos a criar chifre em cabeça de cavalo... Paulo fala sobre SANTIFICAÇÃO em relação à segunda volta de Cristo... Ora, mas quem disse que santificação está ligada ao estilo musical ou às roupas tão criticadas dos regueiros? 23: "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." IRREPREENSÍVEIS: Aqui não diz em relação ao ritmo ou às roupas, mas em relação ao coração diante de Deus e à mudança de vida diante dos homens! Afinal, qual o tipo de roupa ideal para o crente? Os homens, por exemplo, devem estar vestidos segundo os ternos americanos, as saias escocesas, os vestidos indianos ou os panos africanos? Eu prefiro as camisas do Brasil - de preferência no precinho. Vestes só desagradam a Deus quando essas, por meio de decotes ou formas, incitam a sensualidade, que provoca lascívia e gera incitação sexual, profanando o templo de 1 Cor 3:16 e 6:19 (e convenhamos... Roupas de regueiros não tem nada de coladas ou decotadas)... Antes de um crente abrir a sua boca ele deve ser reconhecido com obreiro aprovado. Somos a imagem de Jesus aqui, e creio que assim como minissaiais e blusas mto decotadas não remetem a Cristo, CONCORDO tampouco o fazem dreads, tatuagens e o reggae. Bom... ISso é o que a SUA cultura acha - os cristãos africanos não acham isso em relação aos dreads, os cristãos da Nova Zelândia não acham isso em relação às tatuagens - os cristãos da Jamaica, Portugal (sim, o reggae também é muuuuito popular em Portugal) e Peru (lá também) não acham o mesmo em relação ao reggae, colocando inclusive o ritmo nos seus cultos - pouco se importando com a opinião de alguns.
Somos o sal e a luz do mundo e só servimos se salgarmos e brilharmos. Isso não é feito através de palavras apenas; se dizer pastor e colocar "Deus" aqui e ali numa música é extremamente fácil, mas isso não torna as coisas corretas. Ou você acha que porque Lázaro trocou algumas palavras nas músicas de olodum elas se tornaram santas?? Não, mas também não me acho juiz pra falar sobre Lázaro... Não curto as músicas de Lázaro, mas não tenho visto ele escandalizando a igreja, sendo assim, como o próprio Cristo disse que blasfêmia seria algo como atribuir ao diabo obras de Deus (pelo menos o contexto em que ele falou foi esse em Mc 3:28-29), e se a Bíblia diz que quem não serve a Deus serve ao diabo... Se eu acuso Lázaro de não louvar a Deus em seus hinos... Estaria ele louvando ao diabo! Eu quem não sou doido de dizer isso, tendo em vista que ele não tem demonstrado tal! A Bíblia só nos dá argumentos para tal acusação se os frutos demonstram distância do Evangelho. Isso pode agradar o coração do homem, mas certamente não o de Deus. DEUS TEM VONTADES, ele é um ser pessoal. Só pq vc sente paz ou alegria ao cantar algo, não quer dizer que vc está louvando a Deus, pelo menos não da maneira correta. Ah... Citemos versículos sobre ritmos para que saibamos a maneira correta... Algum em mente? O ritmo correto seria o do piano e violão? Pobre Miriã, que louvava a Deus com tamborim!!! (Êx. 15:20-21; Sl. 81:2) - Ah - tamborim: Instrumento percussivo (sou percussionista) feito de um aro e coberto com pele de animal - a diferença pra o tamborim do samba de hoje é somente a tecnologia na fabricação. E O QUE DIZER DE DANÇAR DIANTE DE DEUS (Sl. 149:3; 150:4)? Misericórdia! Como assim? DANÇAR??? Mas essa não é a maneira correta, pois tem que ser com ordem e decência.. No afã de embasarmos nossos preconceitos, descontextualizamos até os versículos bíblicos a fim de termos "argumentos" para nossas "crendices". SIM, há um jeito certo de louvar e esse é o jeito que Deus espera ser louvado.
Quantos não dirão Senhor, Senhor, em teu nome não profetizamos e em teu nome lançamos demônios e em teu nome fizemos muitas coisas? E ainda assim Deus nem os terá conhecido. Ou ainda no caso de Uzá, que estendeu a mão para segurar a arca, porque os bois haviam tropeçado. Ele, em seu coração, queria impedir a arca de tocar no chão impuro, porém Deus proibiu que a arca da aliança fosse tocada e por isso Uzá morreu! (I samuel 6:6-7). Eu sei que nem sempre o jeito correto está explícito na Bíblia, porém Deus nos dá princípios aplicáveis em qualquer área de nossas vidas, inclusive na música.Sim, Deus ama a todos, seja qual for o estado em que se encontram ou o estilo que possuam, mesmo que eles não O agradem. Mas qdo essas pessoas aceitam a Cristo e passam a amá-lo da mesma maneira, elas se tornam NOVAS criaturas.
Deixam seu velho eu para trás e MUDAM. Nem smp mudança é fácil ou cômodo, é por isso que tantas pessoas buscam algo, mesmo que mentiroso, que as conforte em seu pecado.
AÍ MUDAM E PASSAM A ESCUTAR RITMOS "SANTOS"? Quais seriam os ritmos que agradam o coração de Deus? O MPB dos umbandistas Alceu, Geraldo Azevedo e Elba Ramalho? A Bossa dos boêmios? A música clássica do adúltero Chopin e do depressivo Mozart? O jazz do adúltero Earl Hines e do iracundo Charles Mingus?? QUAL O RITMO PARA LOUVAR A DEUS? Bom, o que sei é que com tamborins é difícil tocar musica clássica, também sei que enquanto muitos utilizam textos descontextualizados para inflamarem seus egos, muitos perdidos são resgatados por outros que os valorizam. (Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos- IITimóteo 4:3)Mas estão por acaso homens acima da Palavra? NÃO! E lá está escrito que não devemos abusar da graça de Deus como licença para pecar, e que a aparência importa sim. Acho que não só Christafari, mas tantas outros grupos ditos gospel esqueceram disso, ou simplesmente são lobos vestidos de cordeiro que se infiltram nas igrejas como câncer contaminando o pensamento das pessoas, principalmente jovens, que são levados a caminhar fora da vontade de Deus até mesmo sem notar, achando que estão o adorando qdo na verdade os únicos ouvidos aos quais aquele som é uma oferta agradável é o deles mesmos. Pois é... Como não sou juiz e sou um pecador miserável, peço misericórdia ao meu Deus e continuo fazendo o meu papel: Reabilitando dependentes químicos que deixam suas paixões pelo pecado e declaram seu amor a Deus, louvando-o em diversos ritmos, mas com uma só base: a Palavra, afinal, onde está nas Escrituras os ritmos que satanás criou? Deus criou, satanás deturpou. E muitos fariseus enquanto julgam a quem não conhecem intimamente, deixam de lado o "ide" e se empanzinam de versículos, à parte dos que mendigam migalhas do Evangelho.


Que o Senhor tenha misericórdia de sua Igreja, que, afundada em uma teologia farisaica, põe concreto nas portas do inferno e esnoba os que caminham para a perdição... Que o Senhor me dê sabedoria para que eu saiba oferecer a água viva não no copo que eu quero, mas no que o sedento entenda, afinal, o que tenho que passar para o perdido não é o meu copo, mas a minha água - Cristo nos deixou a água (seu Evangelho) - devo saber utilizar o copo (a cultura) para resgatar os seus - e conquanto o copo não macule a água, nossa missão também é utilizá-lo!


Deus abençoe!

03 maio 2011

Assunto velho em "pano novo"

Bom, como faz muito tempo que não posto textos aqui, decidi colocar uma resposta de e-mail que enviei há alguns meses. Como o assunto deixou de ser sensacionalismo e já está meio esquecido, resolvi postar aqui com esse tempo de "atraso", então eu não me tornei um sensacionalista, estou certo? Espero que sim :)


No e-mail referido, um irmão comentou sobre a queda de Davi Silva (a quem interessar, segue o link: http://tinyurl.com/6g3fffk). Na ocasião, um irmão (que identificarei como Mateus) enviou um e-mail para nosso grupo dando sua opinião, colocando a frase: "Estes são os efeitos nefastos decorrentes daqueles que ultrapassam os limites do Evangelho." - Um outro irmão simpatizante de Davi Silva (que identificarei como Pedro) ficou bastante chateado e respondeu assim:


'Infelizmente isso aconteceu ao Davi,
mas eu tambem fico muito triste com esses tipos de comentários:
"Estes são os efeitos nefastos decorrentes daqueles que ultrapassam os limites do envagelho."
porque não falar outra coisa, ou do tipo, convocar todos a estarem orando por ele e pela familia dele, nesses dias
tão difíceis, ao invés de vimos com o nosso dedo de acusação!
Ele errou e todos nossos sabemos disso, mas o fato de haver um real arrependimento, gera um perdão. Afinal, não é todo mundo que teria coragem de fazer o necessário ao ponto de expor publicamente o que fez.
Ele poderia simplesmente ter abafado contando a liderança, se afastado por algum tempo, ou até mesmo te dito publicamente que tinha pecado mas não revelar o que era.
A bíblia fala que: o cair é do homem, mas o levantar é de Deus.'


Em meio a esta troca de e-mails, escrevi um e-mail com minha posição sobre esse embróglio, que coloco abaixo.



Nos últimos dias, como todos vocês, recebi uma série de e-mails sobre o ocorrido com Davi, da Casa de Davi.

Como deixei há um bom tempo de participar de eventos da linha teológica que o Casa de Davi abraça, não sei quem é o Davi, mas quando vi o seu rosto lembrei dele de algum lugar. Puxando os “meus” arquivos de YOUTUBE, lembrei que Davi é o mesmo que em um vídeo afirma que os anjos tocam bateria e cutucam pastores para que estes riam (e não conduzam o culto com racionalidade Rm. 12:1-2) – durante sua palavra, ele mesmo encurva o corpo diversas vezes dizendo estar sendo “cutucado” por um anjo.

Neste breve e-mail não quero analisar o “caso Davi Silva”, pois outros textos enviados aqui já o fazem. Gostaria apenas de brevemente dar minha opinião sobre estes movimentos.

Antes de fazê-lo, gostaria apenas de concordar com o irmão Mateus, concordando também com o irmão Pedro. Como assim?

Analisemos: Mateus falou: "Estes são os efeitos nefastos decorrentes daqueles que ultrapassam os limites do envagelho."

Ora, o que é algo nefasto? Nefasto é um adjetivo que tem o mesmo significado de trágico, prejudicial, sinistro, nocivo, que traz ruína... Ora, o pecado não é assim? O pecado não traz ruína? Não seriam as conseqüências do pecado os prejuízos do que é momentaneamente prazeroso mas depois apresenta-se trágico? Não isso que o Davi bíblico sentiu após o pecado com Bate-Seba, o assassinato de Urias, a morte do filho de seu pecado, o crime de Absalão e todas as demais conseqüências de seu ato?

Ora, o pecado não seria eu ultrapassar os “limites” colocados por Deus através de Sua Palavra?

Eu pergunto: Se eu ultrapasso os limites do Evangelho, não irei sofrer as conseqüências trágicas (nefastas) de meu pecado?

Eu novamente pergunto: Davi Silva não ultrapassou os limites e está sofrendo as conseqüências? Não é isso que o vídeo mostra?

Bom, chego (eu chego – se vocês não chegam tudo bem, mas eu cheguei) à conclusão que a frase de Mateuso está, sim, correta e bíblica (e para discordar devemos também trazer uma argumentação bíblica, baseada nas Escrituras e não no que admito como sendo certo ou errado).

Agora analiso a resposta de Pedro... Pra quem me conhece, sabe que gosto de responder e-mails pontuando cada espaço das frases, então farei aqui:

Infelizmente isso aconteceu ao Davi,
mas eu tambem fico muito triste com esses tipos de comentários:
"Estes são os efeitos nefastos decorrentes daqueles que ultrapassam os limites do envagelho."

Mano, esta parte de cima eu expliquei logo acima – Mateus não precisa de advogado, mas concordo com a posição dele e expus a minha também, respeitando o amor que sinto por ele e o que sinto por você – analisemos o abaixo:


porque não falar outra coisa, ou do tipo, convocar todos a estarem orando por ele e pela familia dele, nesses dias
tão difíceis, ao invés de vimos com o nosso dedo de acusação!
Ele errou e todos nossos sabemos disso, mas o fato de haver um real arrependimento, gera um perdão. Afinal, não é todo mundo que teria coragem de fazer o necessário ao ponto de expor publicamente o que fez.
Ele poderia simplesmente ter abafado contando a liderança, se afastado por algum tempo, ou até mesmo te dito publicamente que tinha pecado mas não revelar o que era.
A bíblia fala que: o cair é do homem, mas o levantar é de Deus.

Mano, aqui estou expondo minha opinião em relação ao seu comentário. Como falei no início, iria concordar com Mateus e com você. Com Mateus eu já concordei lá em cima, agora com você concordo no seguinte ponto: “...convocar todos a estarem orando por ele e pela familia dele, nesses dias
tão difíceis, ao invés de vimos com o nosso dedo de acusação! “

Cara, realmente deveríamos estar orando por ele e não fazendo como muitos fazem: acusando (e aqui repito que Mateus não acusou, mostrou a realidade bíblica; mas sabemos que muitos têm, sim, acusado o Davi com ódio e não com razões bíblicas).

Agora eu lanço um questionamento um pouco mais complexo:

O irmão Davi Silva tem uma igreja, tem uma família, tem líderes e amigos íntimos que têm orado por ele.

Eu conheço um cara chamado Edvan, um cara que viveu doze anos de sua vida sendo espancado e violentado pelo pai, nunca teve mãe e aos doze anos saiu de casa, foi morar na rua, se tornou viciado em drogas e criminoso. Aos 21 anos, entrou o Centro de Reabilitação e teve um encontro com Cristo. O primeiro abraço de Edvan em 21 anos de vida foi no Centro de Reabilitação Cidade Viva.

Edvan me ensinou muita coisa, principalmente sobre como sobreviver sem ter ninguém por você,

Edvan passou 8 meses em tratamento, saiu do Centro e, meses depois, morando na mesma favela em frente à mesma boca de fumo, voltou a fumar crack e agora está novamente andando no Bairro São José em estado de transe e cometendo crimes para sustentar o vício.

Eu chorei por dentro quando soube disso e perguntei a Deus: “DEUS, QUEM É POR EDVAN?” – Porque eu não oro por Davi Silva?

Eu conheço uma mulher chamada Joelina, ela não conheceu o seu pai e sua mãe desde que ela era bem pequena começou a vender o seu corpo para sustentar seus vícios. Joelma hoje tem 30 anos, aparência de 50, tem o corpo esquelético, um filho de 6 anos, é viciada em crack e atualmente deixou de fazer ponto na Epitácio Pessoa por duas razões: 1- Poucos são os depravados que pagam por seu corpo; 2- Está escondida em uma favela no Conde, pois está ameaçada de morte e caso apareça no seu barraco em João Pessoa irá morrer. Vocês conhecem Joelina? Certamente não. Sabem o porquê? Pelo simples fato de Joelma não ter ninguém por ela.

Porque eu não oro por Davi Silva?

Eu conheço uma outra mulher chamada Maria. Maria cresceu nas ruas e foi abusada incontáveis vezes. Maria em um problema de pele que faz com que as pessoas se afastem dela. Maria mora em um barraco em uma favela que nem lembro onde fica. Maria tem vários filhos e não tem marido. Certa vez Maria estava na Avenida Getúio Vargas sentada em uma calçada olhando para o além. Ela não pedia dinheiro, não ameaçava as pessoas de serem hipócritas por não lhe fornecerem ajuda e não planejava roubar carteiras. Ela simplesmente olhava para lugar algum, perto da UNIODONTO. Eu estava com o carro estacionado próximo a Maria. Me aproximei do carro e ela se levantou assustada, então eu imaginei que alguém poucos minutos atrás deveria ter dito algo com ela e ela achou que eu faria o mesmo. Entrei no carro e fiquei olhando para ela, que, agora sentada em um outro lugar mais distante do carro, olhava para o céu, sem saber que estava sendo observada. No meu carro eu tinha 1 pct de macarrão, 1k de arroz, 1k de feijão, 1 k de farinha, 1k de açúcar e 1 lata de óleo (sim, eu costumava andar com isso no carro). Pequei o saco com as coisas e fui em direção a Maria. Ela novamente levantou assustada, então eu disse: “moça, a senhora quer comida?”. Maria começou a chorar e, coma cabeça baixa, disse: “meu filho, eu tenho (não lembro quantos, acho que seis) filhos e desde ontem que eles tão chorando em casa sem ter o que comer. Eu tava perguntando a Deus o que eu ia dar pra eles” – Pra não chorar junto com ela, perguntei rapidamente a história dela e ela me falou isso que falei na primeira linha. Sabe quanto tempo faz isso? Uns quatro anos. Onde está Maria? Não sei, pois Maria não tem ninguém por ela.

Porque eu não oro por Davi Silva?

Porque eu não oro por Davi Silva? Cara, eu não oro por Davi Silva principalmente pelo fato de que Davi Silva tem família, tem líderes, tem liderados, tem amigos e pessoas que se interessam por ele. Eu não me interesso por Davi Silva. QUE CRIME! QUE HEREGE! QUE CRISTÃO É ESSE? Mano, eu digo que não me interesso por ele pelo simples fato de Deus ter colocado inúmeras pessoas por quem eu devo, sim, me interessar – e poucas vezes eu oro por elas. Deus não quer que eu me interesse por Davi Silva, por Fernanda Brum, por Rick Warren ou por qualquer um desses aí. Deus quer que eu me interesse por aqueles que precisam de mim. Por quantos amigos meus eu orei hoje? Por quantos familiares meus eu orei hoje? Por quantos Edvans, Joelinas e Marias eu orei hoje? Eu não sei quem são? Ora, basta eu ir na Lagoa que vou encontrar inúmeros por quem devo orar, pois estes não têm líderes, amigos ou familiares interessados em suas restaurações. Eu orei por meus líderes hoje? Davi Silva não é meu líder. Eu orei por meus liderados hoje? Davi Silva não é meu liderado. Eu orei por meus familiares hoje? Davi Silva não é meu familiar. Eu orei por meus amigos hoje? Davi Silva não é meu amigo. Eu orei por quem hoje? Davi Silva é mais que Joelina, Edvan ou Maria? Sem qualquer tipo de falso cristianismo, acho mais cristão orar pelos perseguidos (e esses sim pelo motivo correto) que pelos que já tem tantos para orar por eles.

Portanto, o que eu estou fazendo aqui não é tentando diminuir a culpa dele, claro que não, pois ele realmente pecou e isso não tem desculpas para o pecado mas existe perdão, e devemos olhar com compaixão. Porque acho que ao invés de acusar ou criticar devemos orar por ele e pela familia, para que Deus venha a restaurar a sua vida e dar forças para superar isso tudo!

O último ponto que queria colocar aqui é sobre o que estes inúmeros grupos têm feito em relação à Palavra.

Gostaria de deixar claro que nem toda manifestação “gospel” vem de Deus. Aliás, boa parte dos “Shows da fé” que temos visto na mídia na verdade são puro “antropocentrismo espiritual” – é expulsar Cristo da Igreja, deixá-lo à porta (Ap. 3:20) e servir-se sentado no trono que deveria pertencer a Ele.

Como estou um pouco apressado, convido qualquer um que queira conversar sobre tais movimentos pessoalmente, então posso compartilhar minha vivência com estes movimentos entre 1996 e 2000, sendo consagrado por David Quinlan como “transferidor de unção”, derrubando pessoas e indo para BH fazer um curso com Quinlan, Dan e Marti Duke (pais espirituais de Quinlan), Pr. Cirilo e demais seguidores de Kenneth Hagin, Peter Wagner, Tommy Tenney, Kenneth Copeland, Rick Joyner e os outros.

A quem intressar, postei em meu blog alguns textos sobre tais movimentos; se tiver paciência, procure aqui e acharás alguns.


Deus nos abençoe e tenha misericórdia de nós!