07 fevereiro 2007

APOLOGIA À BÍBLIA (Testemunhas de Jeová - Parte I)

A partir de hoje (bom, não levem essa frase ao pé da letra se o que ela disser por trás for “todos os dias”, pois, REALMENTE não postarei aqui toda semana, muito menos todos os dias, mas tentarei fazer o máximo para atualizar meu BLOG o mais rápido possível) (continuando...) colocarei no meu BLOG de forma resumida, características de alguns grupos religiosos que muito têm crescido, de modo que será fácil você abrir algum dia a porta de sua casa e dar de cara com um membro de algum destes grupos, principalmente das religiões ditas pseudo-cristãs (Testemunhas de Jeová, Adventistas, Mórmons, etc). Ah, antes de tudo, quero expor meu respeito a toda e qualquer religião. Como cristão, respeito ao próximo e, seguindo as palavras do meu Mestre, busco amar a todos, porém, também como cristão, tenho o papel de expor meu posicionamento ideológico no concernente às questões religiosas, de maneira que o melhor modo que um cristão tem de respeitar a religião do outro é não somente ouvi-lo, mas mostrar as razões de sua fé de forma bíblica (1Pe 3:15), sendo esta (a Bíblia) o livro-base que alicerça nossa crença.
Também explico o fato de alguns pontos terem uma linguagem “combativa”: Alguns grupos (novamente - principalmente os pseudo-cristãos) utilizam a Bíblia como “alvará” que certifica suas crenças. É aqui onde entra o papel do cristão – mostrar que qualquer grupo pode, sim, crer no que quiser – que Jesus não foi Deus, que Jesus não foi humano, que foi um anjo, enfim... O que não admitimos é que queiram utilizar a Bíblia para tal, e aqui é onde entra a minha defesa – uma apologia à Bíblia, mostrando que qualquer doutrina que vá de encontro à fé cristã tendo a própria Bíblia como base não passa de pretextos vindos de algum (ou alguns) texto(s) fora de seu(s) contexto(s).
O primeiro grupo a ser estudado (repito: de forma bem resumida) é o das Testemunhas de Jeová, que tem sido a seita* que mais tem preocupado os apologistas, não exatamente pelo fato de seu crescimento na quantidade de membros, mas pela incrível distribuição e influência de suas literaturas. Os Jeovistas são um grupo que primam pelo proselitismo.
Em sua maioria, as Testemunhas de Jeová (quando não cresceram na instituição) foram geralmente católicos romanos que nunca freqüentavam a igreja ou pessoas educadas em igrejas protestantes mas que nunca viveram a Palavra. Viviam desprovidos de verdadeira espiritualidade, até o dia em que receberam a visita das Testemunhas de Jeová. Após breve conversa em que são apresentadas a uma mensagem clara e cheia de conhecimento, estas pessoas chegam à conclusão de que, até então, viviam sem Deus... Bem-vinda, metanóia!
Dia após dia as Testemunhas de Jeová têm ido de porta em porta levando a mensagem da Torre de Vigia para diversos lares, estes muitas vezes são a morada de pessoas que, assim como nós, conhecem a Palavra, mas que nem sempre estão preparadas para defender a fé e levá-las ao verdadeiro caminho (Jo. 14:6). Conhecendo a Instituição, descobriremos métodos eficazes de levá-los a terem as vendas dos olhos retiradas quanto à verdade das suas doutrinas.
* - Algum jeovista deve ter dito: “Quem é esse indivíduo para chamar minha igreja de seita?” De fato, não sou ninguém, mas observe: Seita (do latim secta) significa separado, outro partido tomado, etc... Deste modo, qualquer grupo que se separe de outro seria considerada uma seita – Como Charles T. Russell separou-se dos “Segundos Adventistas” em 1879 e fundou um novo grupo, já teríamos uma razão para colocá-los no nível de seita, mas como para os cristãos o termo “seita” tem uma abrangência que transpassa esta, sendo considerado seita um grupo que tem em sua base doutrinária ensinos anti-bíblicos, no decorrer da leitura você notará a razão que leva os apologistas cristãos a classificarem os Testemunhas de Jeová como seita, valendo também para os demais grupos que aqui serão analisados.
HISTÓRIA:
A América do século 19 vivia um clima bastante confuso no tocante à Teologia, vários grupos com idéias diversas espalhavam seus pontos de vista pelo continente, todos tinham origem no descontentamento com a decadência das denominações protestantes de então.
Dessa mistura de idéias nasce a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, ou Testemunhas de Jeová, um grupo que viria a superar os demais em termos de crescimento na América do século 20. A STV (Sociedade Torre de Vigia) tem o início de sua história diretamente ligado a Charles Taze Russell, seu fundador.
Nascido em 1852, na Pensilvânia, foi criado na Igreja Presbiteriana e desde cedo tinha por costume examinar ativamente as doutrinas que seguia. Aos 15 anos, achou por bem se transferir para o Congregacionalismo por crer que este era mais próximo à sua ideologia. Sentindo-se incomodado principalmente pela não compreensão da doutrina Calvinista, aos 17 anos abandonou o Cristianismo e declarou-se cético, mantendo-se assim até 1870, quando participou de uma reunião em um grupo autodenominado “Segundos Adventistas” (posteriormente veremos as semelhanças entre as duas igrejas), voltando daí a estudar a Bíblia com afinco.
Devido a algumas influências do grupo no âmbito escatológico, Russell abraçou a convicção de que Cristo retornaria em 1874, nesta época começou a publicar a revista O Arauto da Manhã. Em 1879, Russel separou-se do grupo e começou a publicar A Torre de Vigia de Sião e Arauto da Presença do Rei, mas sua grande conquista deu-se em 1881, quando formou a Sociedade de Tratados da Torre de Vigia de Sião, oficializada em 1844. Doze anos mais tarde o termo “Sião” foi retirado do nome.
A Sociedade cresceu rapidamente, transferindo a sede para Nova York em 1908, onde se encontra atualmente.
Alguns problemas acompanharam o crescimento da Instituição, em destaque temos o caso do trigo milagroso de Russell: A fim de arrecadar recursos, Russell anunciou em seu jornal que vendia sementes milagrosas, estas cresciam cinco vezes mais rápido que qualquer outra no mercado. Após a publicação de um artigo por um outro jornal atacando o trigo de Russell, este decidiu processá-lo; o governo investigou e descobriu que o trigo, na verdade, era de qualidade bem inferior aos comuns. Russell, lógico, perdeu o caso.
Antes do caso do trigo, um pastor batista (J.J. Ross) publica um panfleto apologético acusando Russell de farsante e de não ter bases teológicas para estar à frente de uma igreja; Russel decide processar o pastor dizendo-se um erudito em línguas originais e apto para a exegese de textos nas línguas bíblicas. Durante o julgamento, Ross provou que Russell sequer sabia diferenciar uma letra grega de outra. Após a derrota no tribunal, embora continuasse líder do movimento, nota-se que a credibilidade de Russell acabara-se, culminando com sua morte em 1916.
O novo líder viria a ser Joseph F. Rutherford, o então advogado da Instituição e de Russell no processo contra Ross. Sob sua liderança, surge uma nova etapa da STV. Importantes mudanças não ensinadas por Russell foram lançadas por Rutherford. Ele afirmava que a mensagem principal da Bíblia era que os verdadeiros adoradores adoravam o nome verdadeiro de Deus: Jeová.
Rutherford também inovou na maneira de “evangelizar”, ele copiava inúmeros discos com suas mensagens e os tocava por todo o país a fim de conseguir novos membros. Outra inovação de Rutherford foi a centralização do poder da Sociedade, a sede do Brooklyn tornou-se a versão jeovista do Vaticano.
Devido à recusa de participação no serviço militar obrigatório, em maio de 1918 é decretada a prisão de Rutherford e de mais sete membros da Sociedade, por insubordinação às leis federais. Isso forçou a sede a fechar as portas, vindo a reabrir somente após a guerra, com a retirada de suas acusações em novembro de 1918.
Tendo em vista a forma de governo ditatorial de Rutherford, vários membros foram discordando de sua metodologia de liderança, estes se diziam seguidores leais de Russell e “racharam” a STV, formando daí vários grupos pequenos. A fim de diferenciar-se desses grupos, em 1931 a STV adotou o nome de Testemunhas de Jeová, tomando por base o texto de Is. 43:10.
Em janeiro de 1942 termina a Era Rutherford, iniciando então a liderança de Nathan Knorr, que começara a fazer parte da seita aos 16 anos, fazendo parte do centro administrativo da organização desde os 18. Knorr já havia tido diversos cargos importantes na instituição, inclusive o de vice-presidente. Foi eleito por unanimidade após a morte de Rutherford, nessa época a organização contava com aproximadamente 115.000 membros.
Em 1949 o grupo já estava com várias extensões em quase todas as cidades dos Estados Unidos e em várias partes do mundo. Em 1985, já estava em 150 países, em 1961 foi concluída a versão inglesa da “Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas”. Porém, durante a liderança de Knorr, a instituição sofreu uma de suas maiores baixas, posto que profetizou para o ano de 1975 a Batalha do Armagedom. Como esta não ocorreu, inúmeros membros se desiludiram e deixaram a seita, apagando toda sua história na Organização.
Após a morte de Knorr em 1977, sucedeu-lhe Frederick W. Franz, tendo, durante sua liderança, aumentado significativamente a distribuição da literatura jeovista, as revistas A Sentinela e Despertai!. Franz faleceu em 22 de dezembro de 1992, aos 98 anos de idade.

5 comentários:

Richard Weiler disse...

Parabéns pelo post!

Infelizmente algumas pessoas são enganadas por uma falsa erudição vinda por parte das Testemunhas de Jeová e são enganadas por verem nelas um alto entendimento bíblico. O que acontece na realidade é exatamente o contrário. As verdades bíblicas são extremamente distorcidas e ligadas de ponta a ponta atraves do "estudo bíblico" por elas oferecido (que nada mais é do que um programa de doutrinação através de um livro da Sociedade Torre de Vigia). Alguns preferem chamar este processo de lavagem cerebral, porque a pessoa fica tão alienada que dificilmente consegue se aperceber das barbáries que comete em prol da religião, chegando ao extremo de comprometer a sua própria vida em prol do que aprendeu.

Em vista desta situação lastimável e perigosa, mantenho um blog expondo as principais doutrinas anti-bíblicas disseminadas pelas Testemunhas de Jeová. Ficarei feliz em receber a sua visita! http://richardweiler.blogspot.com

Anônimo disse...

Saulo, "só por gostar de escrever", e você até que escreve bem, poderias usar esse dom para algo mais construtivo. Poderias escrever, por exemplo, sobre como plantar batatas, como se comportar num puteiro, etc. Essa matéria sobre as Testemunhas de Jeová, se não fosse trágica, seria cômica. Você precisa se informar melhor para depois escrever sobre um assunto.
Não sou Testemunha de Jeová, católico, mórmon ou qualquer outra denominação, mas também não sou jumento ao ponto de não reconhecer uma e outra coisa. Convivo diariamente com "TJs" e posso te garantir que são pessoas extremamente honestas, confiáveis, ordeiras e todos quantos adjetivos enaltecedores conheces. Não compactuam com aquela "igreja" de pedófilos ou aquelas outras tantas que "vendem" milagres, a custa de muito dinheiro dos fiéis "imbeciis" enganados. Para seu govêrno, as TJ não cobram o dízimo, prática essa de 90% das demais igreja extorquidoras de dinheiro. Converse com um TJ e vá saber com ele sobre o dízimo.
Você perdeu uma boa oportunidade para escrever sobre qualquer outro assunto, talvez alguma coisa que conheças melhor.
Perguntaram ao Dalai Lama: Qual é a melhor religião? e ele respondeu que a "melhor religião é a quela que te torna uma pessoa melhor." Simples assim. Compare agora o comportamento dos que desastradamente achas que são anti-bíblicos, com essa toda sorte de desvirtuados que se vê por aí e todos sob as mais diversas denominações cristãs. Feitas as comparações, diga você qual a melhor religião.
Outro que está mais por fora que cotovelo de motorista, é esse tal de Richard Weiller, que estupidamente fala em falsa erudição, lavagem cerebral, pessoa alienada, barbáries, situação lastimável e perigosa e comprometer a sua própria vida. Isso deve ter sido escrito pelo menos em dois, porque sozinho não se consegue dizer tanta asnice. Ou será que é alguma coisa ligada a "Santíssima Trindade, ao inferno, à Virgem Maria, aos Santos, a impérios financeiros, a pastores que vivem muito bem obrigado sem trabalhar?".
Tua sorte Saulo, é que quase ninguém lê tuas baboseiras e isso é visto pelos poucos e desastrados comentários. Vá se informar e depois volte a escrever. Nota zero.

Anônimo disse...

Saulo, "só por gostar de escrever", e você até que escreve bem, poderias usar esse dom para algo mais construtivo. Poderias escrever, por exemplo, sobre como plantar batatas, como se comportar num puteiro, etc. Essa matéria sobre as Testemunhas de Jeová, se não fosse trágica, seria cômica. Você precisa se informar melhor para depois escrever sobre um assunto.
Não sou Testemunha de Jeová, católico, mórmon ou qualquer outra denominação, mas também não sou jumento ao ponto de não reconhecer uma e outra coisa. Convivo diariamente com "TJs" e posso te garantir que são pessoas extremamente honestas, confiáveis, ordeiras e todos quantos adjetivos enaltecedores conheces. Não compactuam com aquela "igreja" de pedófilos ou aquelas outras tantas que "vendem" milagres, a custa de muito dinheiro dos fiéis "imbeciis" enganados. Para seu govêrno, as TJ não cobram o dízimo, prática essa de 90% das demais igreja extorquidoras de dinheiro. Converse com um TJ e vá saber com ele sobre o dízimo.
Você perdeu uma boa oportunidade para escrever sobre qualquer outro assunto, talvez alguma coisa que conheças melhor.
Perguntaram ao Dalai Lama: Qual é a melhor religião? e ele respondeu que a "melhor religião é a quela que te torna uma pessoa melhor." Simples assim. Compare agora o comportamento dos que desastradamente achas que são anti-bíblicos, com essa toda sorte de desvirtuados que se vê por aí e todos sob as mais diversas denominações cristãs. Feitas as comparações, diga você qual a melhor religião.
Outro que está mais por fora que cotovelo de motorista, é esse tal de Richard Weiller, que estupidamente fala em falsa erudição, lavagem cerebral, pessoa alienada, barbáries, situação lastimável e perigosa e comprometer a sua própria vida. Isso deve ter sido escrito pelo menos em dois, porque sozinho não se consegue dizer tanta asnice. Ou será que é alguma coisa ligada a "Santíssima Trindade, ao inferno, à Virgem Maria, aos Santos, a impérios financeiros, a pastores que vivem muito bem obrigado sem trabalhar?".
Tua sorte Saulo, é que quase ninguém lê tuas baboseiras e isso é visto pelos poucos e desastrados comentários. Vá se informar e depois volte a escrever. Nota zero.

Anônimo disse...

Saulo, "só por gostar de escrever", e você até que escreve bem, poderias usar esse dom para algo mais construtivo. Poderias escrever, por exemplo, sobre como plantar batatas, como se comportar num puteiro, etc. Essa matéria sobre as Testemunhas de Jeová, se não fosse trágica, seria cômica. Você precisa se informar melhor para depois escrever sobre um assunto.
Não sou Testemunha de Jeová, católico, mórmon ou qualquer outra denominação, mas também não sou jumento ao ponto de não reconhecer uma e outra coisa. Convivo diariamente com "TJs" e posso te garantir que são pessoas extremamente honestas, confiáveis, ordeiras e todos quantos adjetivos enaltecedores conheces. Não compactuam com aquela "igreja" de pedófilos ou aquelas outras tantas que "vendem" milagres, a custa de muito dinheiro dos fiéis "imbeciis" enganados. Para seu govêrno, as TJ não cobram o dízimo, prática essa de 90% das demais igreja extorquidoras de dinheiro. Converse com um TJ e vá saber com ele sobre o dízimo.
Você perdeu uma boa oportunidade para escrever sobre qualquer outro assunto, talvez alguma coisa que conheças melhor.
Perguntaram ao Dalai Lama: Qual é a melhor religião? e ele respondeu que a "melhor religião é a quela que te torna uma pessoa melhor." Simples assim. Compare agora o comportamento dos que desastradamente achas que são anti-bíblicos, com essa toda sorte de desvirtuados que se vê por aí e todos sob as mais diversas denominações cristãs. Feitas as comparações, diga você qual a melhor religião.
Outro que está mais por fora que cotovelo de motorista, é esse tal de Richard Weiller, que estupidamente fala em falsa erudição, lavagem cerebral, pessoa alienada, barbáries, situação lastimável e perigosa e comprometer a sua própria vida. Isso deve ter sido escrito pelo menos em dois, porque sozinho não se consegue dizer tanta asnice. Ou será que é alguma coisa ligada a "Santíssima Trindade, ao inferno, à Virgem Maria, aos Santos, a impérios financeiros, a pastores que vivem muito bem obrigado sem trabalhar?".
Tua sorte Saulo, é que quase ninguém lê tuas baboseiras e isso é visto pelos poucos e desastrados comentários. Vá se informar e depois volte a escrever. Nota zero.

Anônimo disse...

A esse anonimo ai sabia q e contra as regras escrever coisas q atinjam ao portador do blog? Cuidado com as bobices q voce falou saiba q se voce e testemunha d jeova voce não vai so ouvir em inferno por causa d suas mas interpretacoes vc pod parar la cuidado com tua lingua pois ate os cavalos teem seus arreios q mais coisas olha em tiago aceite a jesus enquanto ha tenpo jesus disse na casa d meu pai ha muitas moradas nao especificou a quantidad os 144 mil sao os da tribo d israel vc e da tribo d israel? Qual das 12?
Saulo parabens e q deus te abencoe e lhe d graca pra vc continuar abrindo os olhos dos encegueirado thau!