26 maio 2008

O acidente

Olá!

Não costumo utilizar o Blog como noticiário, mas achei interessante comentar um fato que ocorreu na minha vida de ontem para hoje.

Vinham de Campina Grande para João Pessoa a minha irmã, meu cunhado, meus dois sobrinhos (04 e 06 anos) e um amiguinho deles (06 anos). Como chovia muito na estrada, o carro sofreu uma aquaplanagem e deslizou, batendo na mureta da estrada e capotando por 04 vezes. Como as três crianças que vinham atrás estavam sem os devidos cintos, todos voaram de dentro do veículo. Quando minha irmã saiu de baixo do carro, viu que nenhum estava dentro, então se desesperou, porém viu o mais velho se levantando e viu o mais novo mexendo a cabeça (o mais novo deslocou o queixo e quebrou a clavícula). A maior agonia foi que, desesperada, minha irmã começou a gritar chamando o outro (Vítor, de 06 anos) e não o encontrou, então vários carros que vinham atrás na hora do acidente (que inclusive alguns desses viram dois dos meninos voando de dentro do carro na hora da capotagem) começaram a procurar o menino, que não era encontrado, até que uma pessoa de um outro carro notou que o menino estava DEBAIXO DO CARRO. Segundo minha irmã, umas vinte pessoas (mais ou menos quinze carros pararam para socorrer) foram necesárias para desvirar o carro e retirar Vítor de lá, desacordado.

Encaminhados para o hospital, Vítor e Davi fizeram receberam o socorro e foi constatado que Vítor quebrou quatro costelas e uma destas perfurou o pulmão, além de ter um profundo corte desde o lábio até a ponta do queixo e alguns hematomas na cabeça. Davi, conforme falei, teve a clavícula quebrada, um deslocamento no queixo e alguns hematomas no corpo e cabeça.

Imaginem a situação dos meus pais: em 98 perderam um filho com 18 anos de acidente de carro após uma capotagem; então, no dia dos seus 30 anos de casados, liga minha irmã na hora do acidente dizendo que sofreu uma capotagem e que não estava encontrando um dos meninos. No momento eu estava na igreja ensaiando para uma peça (16:00h de domingo) e recebi a notícia por minha namorada, dizendo para eu ficar calmo pois minha irmã tinha capotado o carro vindo de C Grande.

O milagre nisso tudo é, ouvindo os relatos e vendo o carro, saber que nenhum sofre risco de morte; vejo que DE FATO Deus colocou a mão sobre o veículo e mais uma vez tomou conta dos seus, fazendo o seu propósito misterioso na vida de cada indivíduo temente a Ele. Quando estava na casa de uma amiga, minha sogra olhou para o mais velho, que nada sofreu, e disse: "esse anjinho... Voou pela janela, mas Deus segurou suas asas e não deixou ele cair no asfalto".

De fato: Muitas vezes nós queremos usar as asas que o pai nos deu a fim de que possamos voar para onde bem entendemos, geralmente fora da vontade dEle; o bom é saber que Ele quase sempre nos segura, nos deixando cair na grama apenas com poucos arranhões para que lembremos de que não somos "autônomos". Porém, muitas vezes o mesmo Pai permite que caiamos de forma torta, que quebremos alguns ossos e que fiquemos cheios de cicratizes, a fim de que, futuramente, possamos olhar as marcas que o pecado nos causou e possamos dizer: "bem melhor é obedecer e ficar debaixo da mão do Pai do que andar com as próprias pernas e sofrer os danos do erro."

O nosso cinto de segurança é a obediência... Utilizemos este a fim de que possamos estar seguros na hora inesperada.

Que Ele, que nos cerca com Sua poderosa mão, nos abençoe e se alegre de nossas vidas!

2 comentários:

Thiago Rodrigo disse...

Poxa... isso é só uma amostra do poder de Deus. Fico feliz que Ele não tenha permitido que algo de mais grave acontecesse.

Caramba, Deus é demais!!!

Espero que os pequeninos se recuperem rapidamente, Saulo.

Se Deus fez o que fez, não há o que temer.

Abraços

Anônimo disse...

Glória a Deus. Saulo, que Deus anbençoe a todos vocês e que todos se recuperem bem desse acidente, estando certos de que Deus é soberano e muitas vezes essas coisas acontecem para demonstrar que de fato Ele tem cuidado de nós! Um abraço!
Andre Bronzeado