03 setembro 2009

A pedofilia do Hamas

Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinha menos de dez anos.




Enquanto a imprensa exalta os "lutadores da liberdade do Hamas", os "rebeldes", ou então o PT e demais organizações de esquerda no Brasil dão apoio integral ao mesmo (conforme nota do secretário geral do partido, Valter Pomar durante a época do conflito), o mundo desconhece uma das histórias mais nojentas de abuso infantil, torturas e sodomização do mundo vinda do fundo dos esgotos de Gaza: os casamentos pedófilos do Hamas que envolvem até crianças de 4 anos. Tudo com a devida autorização da lei do islamismo radical.


A denúncia é do Phd Paul L. Williams e está publicada no blog thelastcrusade.org e é traduzida com exclusividade no Brasil pelo De Olho Na Mídia (ninguém mais na imprensa nacional pareceu se interessar pelo assunto).Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos. Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planejada."Nós estamos felizes em dizer a América que vocês não podem nos negar alegria e felicidade", Zahar falou aos noivos, todos eles vestidos em ternos pretos idênticos e pertencentes ao vizinho campo de refugiados de Jabalia. Cada noivo recebeu 500 dólares de presente do HamasAs garotas na pré-puberdade, que estavam vestidas de branco e adornadas com maquiagem excessiva, receberam bouquets de noiva. "Nós estamos oferecendo este casamento como um presente para o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra", discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.

O Centro Internacional Para Pesquisas Sobre Mulheres estima agora que existam 51 milhões de noivas infantis vivendo no planeta Terra e quase todas em países muçulmanos.Quase 30% destas pequenas noivas apanham regularmente e são molestadas por seus maridos no Egito; mais de 26% sofrem abuso similar na Jordânia. Todo ano, três milhões de garotas muçulmanas são submetidas a mutilações genitais, de acordo com a UNICEF. A prática ainda não foi proibida em muitos lugares da América.

A prática da pedofilia teria base e apoio do islã, pelo menos a sua leitura mais extrema e radical. O livro Sahih Bukhari (além do Corão, outra das fontes de grupos como o Hamas) em seu quinto capítulo traz que Aisha, uma das esposas de Maomé teria seis anos quando se casou com ele e as primeiras relações íntimas aos nove. O período de espera não teria sido por conta da pouca idade da menina, mas de uma doença que ela tinha na época. Em compensação, Maomé teria sido generoso com a menina: permitiu que ela levasse todos os seus brinquedos e bonecas para sua tenda.Mais ainda: talvez o mais conhecido de todos os clérigos muçulmanos deste século, o Aiatóla Komeini, defendeu em discursos horripilantes a prática da pedofilia:Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê. Entretanto, ele não pode penetrar; sodomizar a criança não tem problema. Se um homem penetrar e machucar a criança, então ele será responsável pelo seu sustento o resto da vida. A garota entretanto, não fica sendo contada entre suas quatro esposas permanentes. O homem não poderá também se casar com a irmã da garota... É melhor para uma garota casar neste período, quando ela vai começar a menstruar, para que isso ocorra na casa do seu marido e não na casa do seu pai. Todo pai que casar sua filha tão jovem terá assegurado um lugar permanente no céu. Para finalizar, o vídeo a seguir traz informações sobre espancamentos realizados contra meninos no mundo muçulmano para "estudarem melhor" - que incluem açoitamentos - escravidão de menores e a venda de meninas de 8 anos ou até menos como noivas no Sudão e em outras países da região. Tudo, com carimbo do islã radical:

http://www.youtube.com/watch?v=gdi2bdv4nwA&eurl=http%3A%2F%2Fmidiasemmascara%2Ecom%2Ebr%2Findex%2Ephp%3Foption%3Dcom%5Fcontent%26view%3Darticle%26id%3D8197%3Aa%2Dpedofilia%2Ddo%2Dhamas%26catid%3D115%3Adenuncias%26Itemid%3D&feature=player_embedded

Esta é a história que a mídia não conta, que o mundo se cala e não quer ver, ou que não querem que você saiba. Mas agora você está ciente, não tem mais jeito! Vai ficar calado? Cobre os veículos de mídia, aja! Se você não fizer nada, ninguém poderá salvar estas vítimas inocentes do inferno do Hamas e similares.

Retirado de:

http://midiasemmascara.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8197:a-pedofilia-do-hamas&catid=115:denuncias&Itemid=134

"Não tenho palavras para expressar o sentimento que tenho ao olhar o rosto daquelas meninas e pensar que dali a pouco serão vítimas do abuso sexual de adultos que deveriam zelar pelo seu bem-estar. E com a chancela da religião. Um misto de indignação, raiva, muita tristeza, aflição desmedida e dó. Talvez tenha sido isso que Jesus sentiu ao condoer-se por aqueles que curou. Talvez seja isso que a bíblia chame de "compaixão", algo que não sentimos mais com a freqüencia que deveríamos segundo aquilo que o Evangelho considera salutar e normal na vida do crente." (Pavablog: http://pavablog.blogspot.com/ )

10 comentários:

Mayra disse...

Eu fico indignada com uma coisa dessa, e saber que o país acha correto fazer isso com as crianças, Deus tenha misericordia viu.

Leonardo disse...

Valeu por nos trazer essa informação!
To até pesquisando sobre esse assunto agora !

Val disse...

que nojo!!! Serà que os poderosos chefes de estado das super potencias mundiais não podem fazer nada????? que absurdo também é saber que a familia destras pobres meninas aprova, aceita e as enfeita para o "matadouro".

Ajuda on line disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
vsimoes disse...

Jarbour, assim como dois outros oficiais de alto escalão contactados pela WND, se sentiu ofendido pela sugestão de que o Hamas estava financiando o casamento de crianças.

Ele explicou que as menores vistas no vídeo faziam parte da família do noivo ou da noiva. Ele disse que se trata de uma tradição as menores se vestirem de vestidos semelhantes aos das noivas. Disse que as meninas que aparecem no vídeo descendo um corredor com os noivos são membros da família do noivo ou da noiva.

Uma análise do vídeo feita pela WND encontrou algumas garotas, falando em árabe, declarando que iam participar do casamento de um membro da família. As garotas entrevistadas não disseram coisa alguma a respeito de elas mesmas estarem se casando.

Em múltiplas ligações realizadas para os palestinos que participaram do casamento os mesmos afirmaram que as garotinhas não eram elas mesmas as noivas.

http://vsimoes.wordpress.com

volnei disse...

nossa nunca imaginei isso, pobre criança perdendo sua infância por umas crenças absurdas, e costumes deploráveis.

Daniel Sottomaior disse...

Lenda...
http://www.wnd.com/index.php?pageId=106002

Master Leodin disse...

elas parecem bem felizes.
será q lá, o casamento significa o mesmo q o nosso?
em MUITAS culturas diferentes, casamento significa somente morar juntos e ajudar nos afazeres.
absurdo é se elas estivessem indo contra a vontade.

Thiago disse...

Terrível uma coisa dessa. Mas fiquei na dúvida se a infomação que deram é correta.

Olhando as imagens parece mesmo que as noivas são as garotinhas.

Só que os caras lá desmentiram, né?! Vai saber se é verdade ou não.

Não duvido nada que isso aconteça.

Forever Two-Delírios de uma escorpiana... disse...

Oi Amigo! Vc deveria colocar a opção de seguir seu blog!! Quero sempre dar uma olhada nele! Vou publicar essa notícia em meu blog, posta os links originais, inclusive o de seu blog.
Esse tipo de coisa precisa ser divulgado até a exaustão!
Abraços!