22 junho 2013

Pelé, Ronaldo e um manifesto do povo brasileiro

Em meio às manifestações do povo brasileiro, escrevi um pequeno texto no Facebook sobre as declarações de Pelé e Ronaldo (com links abaixo, primeiro o de Pelé, depois o de Ronaldo). 


    Primeiro foi o Ronaldo dizendo que "não se faz copa com hospitais, mas com estádios", agora vem o poeta Pelé e diz: "vamos deixar esses protestos de lado e torcer pela seleção". Amigos Pelé e Ronaldo, sinto muito, mas acho que o povo brasileiro finalmente começou a entender que a alienação do pão e circo não tem mais poder que o próprio povo quando este sai às ruas. Agora tenho algumas perguntas para nossos dois honrados representantes da nação no mundo do futebol: Quando alguma criança conhecida precisar de educação de qualidade, deveria eu enviar um e-mail ou mesmo telefonar para a FIFA solicitando vaga em uma instituição educacional de qualidade? Caso eu ou alguém da minha família necessite de atendimento médico, eu devo me encaminhar para qual estádio? Quando algum parente ou amigo ou eu mesmo for vítima da violência urbana, deveria eu recorrer a algum dos nossos ídolos da seleção canarinho com uma vuvuzela, caxirola ou algum outro instrumento sonoro que os incentivem? No caso das crianças abandonadas nos abrigos e de outras tantas que morrem de fome, o ideal seria enviá-las para um gostoso lanche na mansão de algum de vocês? Não seria possível um contato rápido com o honrado presidente da FIFA Joseph Blatter a fim de que o mesmo providencie uma famílias para que adotem tais crianças abandonadas? Ah, temos um probleminha aqui no Nordeste, nada muito sério diante da suntuosidade dos jogos da seleção: é uma coisa chamada SECA. É algo meio estranho e certamente vocês nunca passaram por isso, mas as famílias em determinados momentos chegam a ficar dias sem condições sequer de tomar banho - não por falta de higiene, mas por falta de água mesmo. E o pior: Alguns chegam a morrer de sede. 
    O que mais nos angustia é que esse problema já poderia ter sido resolvido há décadas com algumas ações do governo, mas o mais interessante para os nossos políticos do que resolver o problema é alimentar uma indústria chamada indústria da seca, que funciona mais ou menos assim: nossos políticos compram carros pipa por preços estratosféricos e há décadas usam desse paliativo sempre por duas razões: enriquecem cada vez mais e usam a água que mata a sede do povo como moeda para compra de votos. Já pensaram? Ah, perdão, sei que não pensaram, pois certamente o importante é A NOSSA SELEÇÃO!    
    Não, amigos, sinto muito, mas parece que uma revolução começou. Não uma revolução político partidária financiada por corruptos que vivem desta miséria descrita acima e de tantas outras que não citei, mas uma revolução que parte da indignação de um povo que uma hora se cansa. Confesso que tenho medo quando penso que muitos canalhas se aproveitarão para colocar de fora sua marginalidade e promover a baderna e a criminalidade, mas a essência que se vê na multidão é outra: a indignação com a injustiça. Tais pessoas (falo das pacíficas), crendo ou não, seguem o conselho de Cristo, quando disse: "bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça, pois serão saciados" (Mt. 5:6) - como brasileiro nós não desistimos nunca - ainda que a mídia tente nos manipular tentando desviar o nosso olhar - "parafraseando" Platão, depois que o prisioneiro abre os seus olhos, ele sai da caverna... E se for brasileiro, não se conforma com as trevas em que vivemos... E busca a luz nas ruas, protestando não especificamente contra vocês, manipulados Pelé e Ronaldo, mas contra qualquer cidadão que se corrompe e principalmente aqueles que verdadeiramente DEVERIAM NOS REPRESENTAR: nossos políticos!

Para refletir, segue um vídeo com uma resposta BEM melhor que essa minha:

Nenhum comentário: