04 setembro 2013

Reportagem da Revista Marie Claire sobre o aborto da redatora-chefe

Coloquei aqui o link da reportagem da Marie Clarie sobre o aborto da redatora-chefe, atitude elogiada na reportagem. Se possível, leia no link abaixo para depois entender o motivo desta pequena postagem, colocada em meu Facebook:

http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2013/05/fiz-dois-abortos-e-nao-me-culpo-afirma-jornalista-marina-caruso.html

     Comentário da leitora Fabiana Marques, na área de comentários logo abaixo da reportagem: "Que desânimo com a humanidade dá leresses comentários... Quanta gente ignorante e caga-regra. É muito fácil julgar, sem estar na pele. Ninguém é obrigado a ter um filho que não quer ou não está preparado. Equiparar aborto com assassinato é de uma burrice tão sem fundamento, que não vale a pena nem discutir. Boa sorte para vocês com essa mente retrógrada. E vamos ver se quando a filhinha de vcs de 15 anos ( ou 18) engravidar, se vai esse discurso antiaborto será o mesmo. Eu nunca fiz um aborto, porque não precisei. Mas defendo o direito de quem queira fazê-lo! que tal usar essa energia para protestar contra o bando de político corrupto que tem por aí?" 

     Li esse absurdo e não me contive, respondi assim (são poucos caracteres e tive que cortar várias palavras):

     "Fabiana Marques, quem não quer ou não está preparado e engravida é sim obrigado a ter o filho - o nome disso é consequência. Pela inconsequência dessa sociedade tola é que hoje temos milhares de dependentes químicos que (entre outras questões), não tem moderação nas suas escolhas; pela inconsequência é que muitos excluem alguns e marginalizam outros, etc. Esse seu pensamento é típico dessa tola e hedonista sociedade inconsequente. Não quer ter um filho ou não está preparado? Ah, não seja burro e não faça sexo irresponsável... Ora, somos animais no cio que não se aguentam diante da excitação? Atitudes inconsequentes geram responsabilidades e fugir delas é não só covardia, mas nesse caso, crime. É uma pena que breve já não mais será, mas covardia tal ato nunca deixará de ser, pois é, sim, matar um indefeso. "Equiparar aborto com assassinato é de uma burrice tão sem fundamento, que não vale a pena discutir" Ah, então acabar com uma vida mudou de nome? Em seu caso não vale a pena discutir porque não há argumentação legal, científica e ética que valha, e aqui de fato a discussão acaba, posto que quando a verdade fere nossos brios, resta-nos a fuga ou o silêncio... e você foge! Bom, se minha filhinha de 15 engravidar e não tiver condições, terá que criar ou será sim uma assassina; ser minha filhinha não muda sua atitude desumana. Devemos protestar contra a corrupção sim, mas se for para escolher entre gritar contra um corrupto e contra um assassino, ainda gasto mais energia contra um assassino, pelo menos o corrupto pode ser preso, já o assassino não tem como trazer de volta o que levou." 


     Cada vez mais me enojo como rumo que nós temos dado a esta sociedade que só pensa no prazer imediato. Relativizamos tudo - e nadamos nesse abismo imundo. Não precisa ter uma religião para ser contra tal tipo de atitude, basta olhar um pouco menos para o próprio umbigo.

Em tempo: Minutos depois de enviar a resposta à leitora, recebi este e-mail: 
Revista Quem
23:36 (17 minutos atrás)

para mim 
Caro usuário

Seu comentário contém palavras impróprias.
Por esse motivo ele não será inserido no site.

COMO ASSIM??? EU DISCORDEI DA LEITORA ABORTISTA E FUI BARRADO??? ALGUÉM VIU PALAVRAS IMPRÓPRIAS NA MINHA RESPOSTA? Não nos calemos diante do que estão fazendo com nossas crianças - vamos levantar a voz contra esse tipo de absurdo!